.

"Quem dera se por um descuido, Deus te fizesse eterno..."

terça-feira, 22 de março de 2011



Encontram-se na área de serviço. Cada um com o seu pacote de lixo. É a primeira vez que se falam.

- Bom dia.

- Bom dia.

- A senhora é do 610.

- E o senhor do 612.

- Eu ainda não lhe conhecia pessoalmente...

- Pois é ... - Desculpe a minha indiscrição, mas tenho visto o seu lixo ...

- O meu quê?

- O seu lixo.

- Ah...

- Reparei que nunca é muito. Sua família deve ser pequena.

- Na verdade sou só eu.

- Humm. Notei também que o senhor usa muito comida em lata.

- É que eu tenho que fazer minha própria comida. E como não sei cozinhar .

- Entendo.

- A senhora também .

- Me chama de você.

- Você também perdoe a minha indiscrição, mas tenho visto alguns restos de comida em seu lixo. Champignons, coisas assim.

- É que eu gosto muito de cozinhar. Fazer pratos diferentes. Mas como moro sozinha, às vezes sobra.

- A senhora... Você não tem família?

- Tenho, mas não aqui.

- No Espírito Santo.

- Como é que você sabe?

- Vejo uns envelopes no seu lixo. Do Espírito Santo.

- É. Mamãe escreve todas as semanas.

- Ela é professora?

- Isso é incrível! Como você adivinhou?

- Pela letra no envelope. Achei que era letra de professora.

- O senhor não recebe muitas cartas. A julgar pelo seu lixo.

- Pois é ...

- No outro dia, tinha um envelope de telegrama amassado.

- É.

- Más notícias?

- Meu pai. Morreu.

- Sinto muito.

- Ele já estava bem velhinho. Lá no Sul. Há tempos não nos víamos.

- Foi por isso que você recomeçou a fumar?

- Como é que você sabe?

- De um dia para o outro começaram a aparecer carteiras de cigarro amassadas no seu lixo.

- É verdade. Mas consegui parar outra vez.

- Eu, graças a Deus, nunca fumei.

- Eu sei, mas tenho visto uns vidrinhos de comprimidos no seu lixo...

- Tranqüilizantes. Foi uma fase. Já passou.

- Você brigou com o namorado, certo?

- Isso você também descobriu no lixo?

- Primeiro o buquê de flores, com o cartãozinho, jogado fora. Depois, muito lenço de papel.

- É, chorei bastante, mas já passou.

- Mas hoje ainda tem uns lencinhos.

- É que estou com um pouco de coriza.

- Ah.

- Vejo muita revista de palavras cruzadas no seu lixo.

- É. Sim. Bem. Eu fico muito em casa. Não saio muito. Sabe como é.

- Namorada?

- Não.

- Mas há uns dias tinha uma fotografia de mulher no seu lixo. Até bonitinha.

- Eu estava limpando umas gavetas. Coisa antiga.

- Você não rasgou a fotografia. Isso significa que, no fundo, você quer que ela volte.

- Você está analisando o meu lixo!

- Não posso negar que o seu lixo me interessou.

- Engraçado. Quando examinei o seu lixo,decidi que gostaria de conhecê-la . Acho que foi a poesia.

- Não! Você viu meus poemas?

- Vi e gostei muito.

- Mas são muito ruins!

- Se você achasse eles ruins mesmos, teria rasgado. Eles só estavam dobrados.

- Se eu soubesse que você ia ler ...

- Só não fiquei com ele porque, afinal, estaria roubando. Se bem que, não sei: o lixo da pessoa ainda é propriedade dela?

- Acho que não. Lixo é domínio público.

- Você tem razão. Através dos lixo, o particular se torna público. O que sobra da nossa vida privada se integra com a sobra dos
outros. O lixo é comunitário. É a nossa parte mais social. Será isso?

- Bom, aí você já está indo fundo demais no lixo. Acho que...

- Ontem, no seu lixo.

- O quê?

- Me enganei, ou eram cascas de camarão?

- Acertou. Comprei uns camarões graúdos e descasquei.

- Eu adoro camarão.

- Descasquei, mas ainda não comi. Quem sabe a gente pode... Jantar juntos?

- É. Não quero dar trabalho.

- Trabalho nenhum.

- Vai sujar a sua cozinha.

- Nada. Num instante se limpa tudo e põe os restos fora.

- No seu lixo ou no meu...

Luis Fernando Veríssimo

41 comentários:

  1. Ahh que lindo, flor!
    Como as nossas coisas, nossos restos, falam por nós.
    Muitas das vezes deixamos de conhecer o outro, de conhecer a dor do outro por comodidade, pela rotina que nos fazem passar sem olhar a vida do outro.
    E que lindo esses dois!
    Juntaram a solidão.

    Beijos*
    Tenha um bom dia!

    ResponderExcluir
  2. Interessantíssimo, rs.

    Me faz crer que 'observar' é tudooO*

    beijoos Hellen, um dia de encantos pra tí...

    ResponderExcluir
  3. Veríssimo sabe colocar humor em seus textos: perfeito!

    ResponderExcluir
  4. Olá!! Achei seu blog na lista de um blog amigo. Sigo.

    Sds,

    Daniele Barizon
    http://www.neointerativo.com

    ResponderExcluir
  5. Ahhhhhh.. que saudade desse texto!!! Lembro que tinha num livro didático de português que usei na 7ª série.. haha. Incrível! Me fez recordar daquele tempo... eu gostava tanto desse texto q li umas 100 vezes durante o ano. Muito bom!!!

    ResponderExcluir
  6. Que beleza! Adorei.
    Se tiver um tempo, passa lá no meu blog.
    Hiper abraço, sucesso, hoje e sempre.
    Já estou te seguindo.
    BOM DIA!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Flor, estou indicando um blog recente e muito interessante:

    http://oespiritoselvagem.blogspot.com/

    pensamentos de um garoto hippiie.
    Vale a pena conferir.

    Beijos*

    ResponderExcluir
  8. Belíssimo, Luis Fernando. Bravo!

    Um lindo dia pra ti, querida!
    Fique com DEUS
    Beijos doces no coração

    ResponderExcluir
  9. HISTÓRIA MUITO INTERESANTE!!!
    GRANDE ABRAÇO

    ResponderExcluir
  10. Muito legal.
    Veríssimo é d+
    Passando para te deixar um beijo Hellen.

    Fernanda

    ResponderExcluir
  11. Olá e ai tudo bem?
    Interessante esse senso de observação das pessoas.

    Olha no texto falou do Espirito Santo(meu estado)e de poesias kkkkkkkkkkkkk

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Lindo amei amiga.
    Das coisas mais simples fazemos histórias ensquecivel.
    Um beijo no coração,Evanir.
    http://aviagem1.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Hellen,agora vou repensar meu lixo. hehehe...

    Vai saber que ta futricando por lá.

    Beijo no coração querida!

    ResponderExcluir
  14. Hellen, lindo o selinho, obrigada!! Já está postado lá =))

    Um beeijo

    ResponderExcluir
  15. BRILHANTE!

    Fiquei agarrado da primeira à ultima letra.
    Como parece simples a genialidade...

    :) Beijinhos

    ResponderExcluir
  16. Chaaará... adorei a históriia..
    =D obrigadaaa pelos carinhos no meeu Blog.!
    Estoou seempre akii.!
    Beeeijao e tenhaa uma Otima terça.!

    sz

    ResponderExcluir
  17. AAAH essa foto no seu perfiil?
    a tattoo é suaa mesmoo?

    ResponderExcluir
  18. Oi querida...

    Que maravilha!!!!

    Amei!

    Feliz demais sua escolha!!!!!

    meu carinho!

    Zil

    ResponderExcluir
  19. Desconcertantemente terno!
    Já me tinham dito que o nosso lixo funciona como um autêntico bilhete de identidade!

    ResponderExcluir
  20. aawn que fofo*-*
    fiquei imaginando os dois, um analisando o lixo do outro. Pois é, as vezes nossas oportunidades são nossas vizinhas, como no quarto ao lado, ou tão intima, tão nossa,como o lixo, e nós nos damos o trabalho de procurar tão longe.

    um beeijo

    ResponderExcluir
  21. Muito bom esse texto.

    Ahh, estou levado comigo o selinho do seu Blog.
    :D
    postarei breve,
    beijinhos

    ResponderExcluir
  22. Gostei do teu Blog, e vou te seguir, epsro que goste de poesia, tenha um linda noite, beijos !!!

    ResponderExcluir
  23. Achei esse post muito legal...

    As vezes a gente precisa aproveitar as oportunidades que a vida nos dá e não deixar passar meio que desapercebido não é?

    Espero encontrar alguém assim, tentando me entender pelo que eu deixo ver de mim...

    Beijos

    Ani

    ResponderExcluir
  24. Muito, muito bom!
    Adorei!
    Boa noite, flor!

    ResponderExcluir
  25. Hahahaha, adoro esse texto do Veríssimo. Adorei seu blog, estou seguindo. Se puder visite o meu!

    bjs

    ResponderExcluir
  26. Oi Hellen!pasando para conhecer seu texto, muito legal isso, pois é acho que através do lixo da pra saber muitas coisas a respeito de uma pessoa.
    Beijosss

    ResponderExcluir
  27. É bem assim,,do nada se começa uma relação...até pelo "me interessei pelo seu lixo"...beijos de bom dia pra ti.

    ResponderExcluir
  28. Luis Fernando é SHOW.

    Bom dia amiga!

    beijooo.

    ResponderExcluir
  29. Vamos dividir o lixo,
    as prateleiras,
    o acaso.

    ResponderExcluir
  30. Que lindo! O moço de cima fez até mais poesia, acho que é isso, o escritor quer que a gente sempre a termine, do nosso jeito.

    ResponderExcluir
  31. Adorei o blog é fofo .
    Suas postagens são otimas.
    Seguindo aqui ;*

    Se der me segue tbm, o blog é novo e adoraria uma opnião sua sobre algum texto meu.
    Beijos linda
    http://desconexoeconfuso.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  32. Heheh!

    Eu ja tinha lido esse conto e achei muito, muito muuuuito bom mesmo!!!!

    E é fato, o lixo pode mostrar tudo de uma pessoa. Lixo é o que jogamos fora, e nem sempre jogamos fora o que não queremos mais.

    Adorei...

    Beeejs,

    noobhousewife.blogspot.com

    ResponderExcluir
  33. É sem dúvida um belo final. =)
    Adorei!

    ResponderExcluir
  34. As coisas incríveis que se podem encontrar no lixo dos outros... Não fazia ideia.
    A partir de agora, vou começar a chafurdar nos caixotes, quem sabe, dentro de um deles, eu ache meu destino.

    Bom fds

    Runa

    ResponderExcluir

Photobucket Disse a flor para o pequeno príncipe: é preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas. Antoine de Saint-Exupéry